Tuesday, September 01, 2009

Aquele golo sofrido...

O jogo de ontem, na Luz, deixou muitas coisas atravessadas. Nomeadamente, o golo do Vitória, na garganta do Jorge Jesus (e na minha, já agora); e os outros oito do Benfica, em cerca de 4 milhões de gargantas, engasgadas por esse país fora. Mas também deixou coisas escorreitas, direitinhas, claras.

Sou da despudorada opinião de que, na hora das (boas) vitórias, o momento é de festejar. E, tomando as palavras de Bolöni, a esta hora “je suis trés content”. Porém, vou refrear os festejos e o contentamento, não vão certos leitores apelidar esta vitória de “jogo de iniciados” ou algo igualmente deprimente e ressabiado (ou verdadeiro...). Vou antes partilhar – com quem estiver na disposição de ler – a minha análise a este Benfica, deste momento.

Há que começar por dizer que gosto disto. E estou a quebrar o meu auto-compromisso de tocar no assunto e de o dizer abertamente. Mas não há como contornar: o Benfica deste início de época dá-me gozo. Não sei se vai durar e já sei que a época é longa e que as contas se fazem no fim e bla bla bla bla o folcuporto é que é o máiór e a gente, no fundo, só anda aqui a animar metade da nação enquanto não chega o Natal e a passagem de ano. Já sei isso tudo, escusam de mexer um dedo para repetir essas ideias na caixa de comentários – aliás, a ideia nem foi inventada pelos portistas (toda a gente sabia, dantes, que o futebol eram onze para cada lado, com uma bola redonda, e, no fim, ganhava a Alemanha...).

Mas gosto disto. Gosto de ver o Benfica fazer 8 golos num jogo, para começar. Porque a moda das “goleadas” de 4 a 1 só começou porque o Benfica deixou de as fazer nos moldes dos anos 60 e 70, com 7, 8 e 9 golos – quando não mais. E é bom ver que as equipas ainda podem jogar à bola por prazer – lá está, como a gente jogava nos iniciados. E se ainda há tempo para jogar, então ainda dá tempo para se fazer mais um. E foi isso que eu vi ontem. Jogadores que jogam o que sabem e que o fazem porque gostam. Vocês fazem ideia de há quanto tempo eu não via isso no Benfica? Fazem ideia de há quantos anos eu vejo jogadores – alguns deles de bom nível – a jogar pelo Benfica como quem trabalha num escritório? Com tédio. Com má vontade. No estrito cumprimento das funções. Por mais eficazes que o fossem... não posso dizer que me enchessem as medidas. O meu sonho era jogar no Benfica, caramba! Respeitem o meu sonho.

Não posso dizer que “gosto do Jorge Jesus”. Para mim, Jesus sempre foi uma personagem caricata com métodos meio tresloucados que explicava os seus êxitos surpreendentes com expressões dignas de nota – e de sorrisos, no mínimo. E pronto, nunca tinha imaginado Jesus a treinar o Benfica. Snobeira minha, talvez. Mas ainda me custa aceitar a ideia de ter um treinador que fala pior português do que o Souness. Agora... aqui fica o meu braço, quem quiser que o torça: a equipa joga que é um regalo. Eles pressionam quando não têm a bola, eles lutam por ela, eles trocam-na, correm, passam, cruzam, brincam, rematam... Às vezes até pode dar-se o caso de não ganharem. Mas isso é outra conversa (as contas, vá lá, fazêmo-las só no fim). Mas dão gozo de ver.

Posso dizer que gosto de vários jogadores. Por exemplo, este Aimar, que fomos buscar nesta prá-época, pendurado nos calções do outro pequenino, é uma maravilha de jogador. É muito melhor do que o outro que a gente tinha comprado o ano passado. Para o ano, espero que a gente volte ao mercado para adquirir ainda outro Aimar – será candidato à bola de ouro da FIFA. E o tal pequenino? Que pezinhos, meus amigos. E que entrega e inteligência naquela frente de ataque. Mas quem mais me tem encantado tem sido aquele que comanda tudo, lá atrás: Xaví Garcia, esse mesmo. Uma parede que abre os braços e faz recuar 11 dos deles, para além de fazer avançar 7 dos nossos. É obra. Melhor que isto só aquele senhor da Bíblia, que abria os braços e, com o gesto, abria também as águas. Não se tratando de pólo aquático, a intervenção de Xaví parece-me adequadíssima. Para além deste espanhol, tão desvalorizado pelo RM Galaxy, tem-me encantado também aquele franzino, carote na aparência, franzino na figura, mas imponente no jogo jogado. Ramires: ele corta, corre, distribui, dobra os colegas, surge a rematar e, se o guarda-redes não segura, estou certo de que será o primeiro a fazer a recarga.

E não me alongo mais com isto. Tão trés content que je suis, já devo estar a meter nojinho ao adversário. E aos do sportém também. As minhas desculpas. Foi pena, realmente, aquele golo sofrido...

10 Comments:

At 8:00 PM, Blogger Tiago said...

Gostei! O nosso Benfica às vezes deixa-nos felizes, e desta vez não são só os resultados. A estética, a estética.

 
At 11:51 PM, Blogger kelevra said...

E o Coentrão?

 
At 12:29 AM, Blogger ricnog said...

Concordo com tudo o que dizes....

Para além do treinador....

Referes-te a 3 jogadores que me parecem que estão a mais neste campeonato...Javi, Aimar, Saviola!!!

Parabéns pelo texto, nem eu escrevia melhor um desabafo desses ;) lolol

 
At 12:34 AM, Blogger playmaker said...

trés content...oui! falo muito bem italiano. c'est vrai.
estou a adorar.

 
At 10:13 AM, Blogger The Champ™ said...

Não sendo adepto e/ou simpatizante e/ou sócio, tenho que admitir que o Javi Garcia, é (foi, será ?) sem duvida alguma a contratação.

o jogo do Benfica mudou e muito com a entrada dele.

 
At 10:46 AM, Blogger Manuel Picaró said...

Apenas um comentário da minha parte:

Fabuloso!!!


Podemos não ganhar nada mas já valeu a pena por este teu comentário!

Parabéns.

 
At 3:04 PM, Blogger André said...

Não podia estar mais de acordo, falta apenas uma breve referencia ao tempero da equipa, Coentrão, ou como diz o outro o "Fábinho".

Trés content aussi.

Amo-te Benfica

 
At 4:22 PM, Blogger ZeduViana said...

Tás lá Diego. É isso. o benfica precisava mesmo de um treinador com metodos tresloucados

 
At 4:24 PM, Blogger ZeduViana said...

ah. só acho que faltou falares da outra grande contratação desta época: o di maria.


e o puto coentrão.



e o david luiz a central outra vez.



e o shaffer q com os centros q faz faz esquecer o que não faz bem a defender. mas pronto se calhar aqui já me tou a esticar.

 
At 6:48 PM, Blogger Diego Armés said...

Eu só quis falar das coisas que, para já, são surpresas e desequilibram mesmo (reconheço muito potencial no puto Coentrão e vejo que o Di María continua a evoluir, coisa que já se notava a época passada). O David Luiz não me merece grande destaque: mantenho, para mim (isto não é público, ãhn?), que é o melhor jogador do plantel. E isso não é pouco, olhando para este plantel.

 

Post a Comment

<< Home