Wednesday, September 30, 2009

O momento

O que eu queria dizer é coisa simples e não pretendo tirar muito tempo a quem lê. Hoje em dia, há muito que ler por aí e, quando se fala de bola, andamos todos a dizer o mesmo. Mas quanto a isso de o Benfica estar “muitíssimo bem”, “muito forte” ou mesmo “demolidor”, peço aos adeptos adversários que nos concedam o direito à felicidade: depois de tanto ano de mediocridade, uma pessoa vê-se na disposição de gostar, de festejar, de desfrutar destes momentos felizes. Porque, embora possam parecê-lo, os benfiquistas não são todos extremamente parvos. Existe uma diferença entre uma fezada depois de 3 vitórias em que se diz “isto, este ano é que é” e a constatação daquilo que é óbvio, claro e, sobretudo, entusiasmante. Quando se vêem adversários invariavelmente encostados às cordas, obrigados a recorrer à falta (às vezes, à violência) para travar o Benfica e a contar os minutos para que o jogo acabe antes da goleada, é invetitável uma pessoa – benfiquista ou não – concluir que “aqueles gajos estão a jogar que se fartam”.

Mas não era isso que eu queria dizer, isso já foi dito e redito e até os adversários o reconhecem, uma vez que é factual, logo, indesmentível – não há duas maneiras de ler uma verdade quando a verdade está dita com clareza e sem figuras de estilo. O que me importa é que amanhã é um dia importante porque vai acontecer um jogo importante.

Não, não se trata de defrontar um tubarão europeu, longe disso. O AEK é da segunda liga europeia. Tal como, supostamente, o é o Benfica de hoje. E é aí que reside a importância deste jogo: o “momento benfiquista” será apenas isso e, na prática, a equipa é do mesmo nível do AEK?; ou o Benfica vai conseguir demonstrar frente aos gregos o que demonstra por cá? Conseguiremos transformar o AEK num Leixões? Ou o jogo será uma espécie de Guimarães – Nacional da Europa?

Amanhã será o primeiro “jogo-comprovativo” do ano – e um sinal mais claro daquilo que poderemos esperar verdadeiramente do Benfica para o resto da época. Portanto, se Jesus sair da Grécia com 3 pontos resultantes de uma vitória sofrida num jogo equilibrado, será sempre bom. Mas significará que, calma meus amigos, o trabalho só está começado. Avaliando por alto o que foi feito até agora, não espero menos do que o que fizemos contra o BATE Borisov. Não me desiludam.

8 Comments:

At 6:08 PM, Blogger António Pista said...

O AEK vai ser um adversário deveras perigoso...

http://aguia-de-ouro.blogspot.com/

 
At 5:06 PM, Blogger joemorales said...

Do pouco que conheço do AEK poderemos ter problemas com os avançados Scocco e Blanco, se a nossa defesa e linha média estiver concentrada os 3 pontos viram na bagagem por acréscimo. Não é mais do que a nossa obrigação trazer os 3 pontos, tem é que se trabalhar para que tal aconteça e este ano vê-se luta e entrega. Só trabalhando se cumpre os objectivos. Na teoria será um jogo complicado, mais pelo ambiente helénico do que por arte do AEK, mas perfeitamente ao nosso alcance.

 
At 11:31 PM, Blogger Férenc Meszaros said...

'Avaliando por alto o que foi feito até agora, não espero menos do que o que fizemos contra o BATE Borisov'.

Diz o que quiseres, guitarrista, mas a euforia é tanta que nem conseguem olhar para a qualidade das equipas que o benfica defrontou até agora. AEK incluído.

Mas continuem, continuem. Longe de mim querer ser desmancha-prazeres...

 
At 12:11 PM, Blogger Metralha said...

E que momento...

 
At 12:23 PM, Blogger Valdemar said...

Bemvindos à terra, rapazes...

Abraço

 
At 1:50 PM, Blogger Diego Armés said...

Pronto, lá terei de escrever um post sobre a euforia: a vossa, com a derrota do Benfica.

 
At 2:05 PM, Blogger Valdemar said...

Diego,

somos uns básicos: basta-nos um jogo para ficarmos eufóricos.

Aos Benfiquistas, uma pré-temporada, 6 jogos para o campeonato, e 4 para a Liga Europa. E um regresso à terra.

 
At 2:40 PM, Blogger Diego Armés said...

Desculpa, Valdemar. Não percebi bem a tua ideia. Explica-te melhor, por favor.

 

Post a Comment

<< Home