Wednesday, February 15, 2006

Desapontamento

Como muitos portugueses - milhões, dezenas de milhões, talvez!, centenas de milhões, quiçá! -, tenho um hábito praticamente religioso: ler a pior página de opinião futebolística da história do jornalismo mundial desde que Gutenberg teve a engenhosa ideia - que, séculos mais tarde, haveria de dar emprego a tantos e tantos chulos que, na maior parte dos casos, passa o tempo na Internet e a escrever para blogs. Mas isso não interessa agora. Foquemo-nos na escrita do patético José António Lima.

Assim que acabar este texto e me refizer do choque - logo que eu me recomponha, arranje o cabelo, pinte as unhas e desligue o PC -, saio porta fora e vou pedir o dinheiro do jornal de volta. É absolutamente indecente o conteúdo d'A Bola de hoje. Uma pessoa compra o Público à sexta-feira e já sabe que o Inimigo Público lhe vai fazer soltar umas gargalhadas valentes; uma pessoa compra o Diabo à terça-feira e fá-lo consciente de que a abertura de Alberto João lhe alegrará o dia; uma pessoa compra o Record a qualquer dia da semana e sabe que passará um bom bocado a lamentar divertidamente a falta de talento para a escrita do Alexandre Pais; da mesma forma que uma pessoa - que "uma pessoa"?... milhões, centenas de milhões de pessoas!... - compra, religiosamente A Bola, à quarta-feira, na expectativa de uma boa barrigada às custas do maior, do gigantesco, do inominável inconsciente-mor da crítica futeboleira (soccer critic). Pavlov explica esta treta toda. Explicava, no tempo dele, pelo menos.

E não é que, pela primeira vez em toda a sua miserável História, José António Lima redige, de uma ponta à outra, um texto que não é extremamente mentecapto?! Hum? Dá para acreditar que não se mencione uma única vez numa extensíssima e chatérrima prosa a expressão "cotovelos do Luisão"? Mas será possível que o homem gaste para cima de 4 mil caracteres a falar do Benfica sem mencionar o "off-shore da Luz"? Hã?

Zé António, metes-me nojo! És uma fraude! Nem a ser o pior do mundo tu consegues ser coerente! Larga a droga, Zé António! Quero o meu dinheiro de volta!

É que, numa página inteira, apenas numa mísera expressão ("Mas provou-se que os mais fortes nem sempre são fortes.") José António Lima dá um arzinho da sua graça. Uma autêntica roubalheira estes 70 cêntimos... A sério, não me conformo.

5 Comments:

At 9:54 AM, Blogger Bulhão Pato said...

Admito que o JA Lima por vezes passa das marcas. Na semana passada, ele escreveu que um dos campeonatos ganhos pelo FC Porto na era do Penta até foi justo. Caramba! Que facciosismo.

 
At 10:19 AM, Anonymous anonymous numbaro um said...

É por essas e por outras que deixei de comprar jornais quando a "Gina" fechou as pernas...

 
At 11:56 AM, Blogger Guitarrista said...

Ó Bulhão, estás com aspecto mais duvidoso mas, ainda assim, com melhor cara... Agora, depois do Emplastro e do sr. Azevedo,para quando uma transformação em Sousa Cintra?

 
At 1:02 PM, Blogger Bulhão Pato said...

Fiz um lifting. Aliás, não te acanhes: a ideia até foi tua.

 
At 1:10 PM, Blogger Guitarrista said...

Folgo em saber que me dás ouvidos. Haja alguém... fossem todos como tu e o mundo seria um lugar muito melhor!

 

Post a Comment

<< Home